Treino de resistência: entenda o que é e quais são seus tipos

Matheus Hunoff
Comments are off for this post.

O treino de resistência serve como preliminar e preparação para os exercícios de fato, como o surf. Esses treinos são importantes, pois aumentam a sua energia e a sua resistência na hora de praticar qualquer esporte, trazendo mais vitalidade para dar o seu máximo e aproveitar ainda mais as ondas por muito mais tempo.

Os treinos de resistência ajudam o esportista a melhorar seu desempenho nas atividades, além de proporcionar um desgaste menor durante a prática de exercícios. Sem essa preparação, o atleta se sentirá cansado mais cedo e não terá um bom aproveitamento, e é por isso que esses treinos são tão importantes.

O que é a resistência?

A resistência consiste na capacidade de manter o fôlego mesmo quando se está fazendo um grande esforço físico. Assim, o treino de resistência serve para aumentar essa capacidade durante a prática dos mais diversos esportes. Sem esses treinos, o rendimento do trabalho cai, pois o cansaço domina o corpo mais cedo.

O treino de resistência faz parte do processo de preparação física antes dos exercícios.

É importante lembrar que a resistência pode se manifestar em três diferentes formas, como será tratado mais detalhadamente a seguir. De qualquer modo, esses tipos de resistência variam de acordo com o tempo e a intensidade do esforço físico.

Qual é a diferença entre resistência, energia e fôlego?

Até aqui você aprendeu o que significa resistência, mas ainda resta saber o que a diferencia de outros termos técnicos, como fôlego e energia.

Resistência

Como você já viu, a resistência serve para otimizar o uso de energia e aumentar o fôlego durante os exercícios. Quanto mais resistência alguém tem, mais tempo essa pessoa consegue praticar e melhores são os resultados.

Energia

A energia, dentro do ramo da física, carrega muitas formas de se expressar e de atuar no ambiente, transformando-se em outras energias. O mesmo acontece no corpo humano. Tudo o que se come é transformado em energia, junto com a ajuda do oxigênio, mantendo o corpo ativo.

Essa energia pode ser convertida para diferentes formas, como energia elétrica (nos neurônios, responsável pelas sinapses) ou cinética, que faz com que o tudo no corpo se mexa, etc. É essa última energia que é necessária para se fazer exercícios, pois é como se fosse um combustível para o organismo.

Fôlego

Fôlego está relacionado à capacidade de o organismo puxar oxigênio e transformá-lo em energia para ser usada em todas as atividades do dia a dia.

Quando é dito que alguém “perdeu o fôlego”, significa que a pessoa não está conseguindo suprir de modo satisfatório a demanda energética de seu corpo naquele momento, e todas as células estão sedentas por oxigênio. A respiração fica mais pesada e acelerada, e parece que nunca é suficiente, porque o corpo está em déficit, gastando mais oxigênio do que entra pelos pulmões.

Ter um bom fôlego significa que seu corpo é capaz de suprir as demandas energéticas do organismo com facilidade, mesmo diante de situações de alto gasto energético. Os treinos de resistência também podem ajudar a melhor seu fôlego.

Os três tipos de resistência

Os treinadores geralmente usam bastante a resistência aeróbica, mas para um bom desempenho é interessante conhecer os três tipos de resistência existente e trabalhar com todos, pois ignorar uma das resistências pode diminuir os resultados finais.

Resistência aeróbica

Essa resistência é muito importante em práticas mais longas no atletismo, e também serve para quem pratica esportes mais leves como caminhada ou surf. A resistência aeróbica é uma característica de esforços físicos pouco intensos, porém longos.

Essa resistência funciona com o uso do oxigênio, que é usado para gerar mais energia.

Resistência anaeróbica láctica

Ao contrário da outra, essa resistência é voltada para esforços curtos e de alta intensidade, por isso é bastante útil, por exemplo, para corridas de curta distância etc. Também se torna importante para a preparação em modalidades de longa duração do atletismo.

Nesse caso, não se usa oxigênio para aumentar a energia. No lugar disso, libera-se nos músculos o ácido láctico, que faz o papel de servir como suprimento energético.

Resistência anaeróbica aláctica

Nesse caso, os esforços físicos de máxima intensidade e pouquíssima duração dependem muito dessa resistência. É essencial para provas que envolvam saltos, arremessos, barreiras, corridas etc. Nesses casos, existe um alto gasto energético em um curto intervalo de tempo.

Potência e capacidade

Potência

Potência é a quantidade máxima de esforço ou trabalho que é possível fazer em uma determinada unidade de tempo (minutos, segundos e assim por diante). Os treinos de resistência aumentam sua potência, mas não diretamente: eles aumentam sua capacidade, que por sua vez aumentará sua potência.

Ou seja, a potência está relacionada com a energia que é possível gerar com o esforço físico. É claro que falar em “gerar energia”, quando na verdade parece que a energia apenas está sendo gasta, é um pouco estranho, mas é isso mesmo que acontece.

A energia não se gasta, ela se transforma. A energia cinética (gerada pelo seu movimento), pode servir para aumentar sua temperatura corporal, por exemplo, ou seja, ela se converte em energia térmica.

Quando você usa toda sua potência, seus músculos trabalham com toda sua capacidade.

Potência Aeróbica

É o máximo de trabalho que se consegue fazer em dado espaço de tempo por meio da energia vinda da resistência aeróbica.

Potência Láctica

É o máximo de trabalho que se consegue fazer em dado espaço de tempo por meio da energia vinda de ambas as resistências lácticas.

Capacidade

É quantidade máxima de energia que se pode conseguir a partir de determinada fonte energética. Os treinos de resistência servem justamente para aumentar a capacidade do seu corpo e impedir que a fadiga venha tão cedo.

Quando não se tem uma grande capacidade física, o cansaço pode ser desmotivador na prática de exercícios.

Outra definição interessante de capacidade física: todo atributo físico treinável pelos seres humanos. É por causa dessa capacidade que se pode fazer todos os esforços físicos, mesmo os mais simples como ler este artigo. Essas capacidades (como velocidade, agilidade ou flexibilidade, por exemplo), podem ser transmitidas de pai para filho, inclusive a resistência!

Capacidade aeróbica

É o máximo de energia que se consegue por meio da resistência aeróbica.

Capacidade láctica

É o máximo de energia que se consegue por meio de ambas as resistências lácticas.

Método de treino

Treinamento de longa distância

Também conhecido como método contínuo uniforme ou corrida contínua, esse treinamento de baixa a média intensidade trabalha mais com a resistência aeróbica. Consiste basicamente em uma corrida de mais ou menos cinco mil metros, mas também é possível trabalhar com curta distância, praticando de oitocentos metros até mil e quinhentos metros.

Esse treino deve durar pelo menos uma hora, sem nunca ultrapassar o máximo de três horas de prática. O tempo de corrida deve ser calculado levando em conta o condicionamento físico do atleta, sua idade etc.

Este treino pode ser feito em grupo também, desde que entre pessoas com as mesmas condições de treino.

Treinamento de fartlek

Nesse tipo de treinamento, também chamado de método contínuo variado, é comum que se trabalhe de diferentes maneiras, aproveitando o trabalho de esforço constante, o trabalho de velocidade constante e o trabalho de velocidade progressiva. Ou seja, é uma prática que intercala esforços em diferentes intensidades e durações, e pode ser feito tanto em terrenos planos quanto em terrenos variados (subidas e descidas).

Para esse tipo de treino, é preciso sempre manter um foco na frequência cardíaca para se definir os graus de intensidade. Um ritmo muito fácil não causa uma frequência cardíaca maior do que 120 batimentos cardíacos por minuto. Já o ritmo forte (para atletas avançados) estimula uma frequência cardíaca superior a 160 batimentos cardíacos por minuto.

O controle da frequência cardíaca é importante para a prática de fartlek.

Treinamento de tempo

Melhora simultaneamente a potência e a capacidade de pontos específicos dos atletas, o que acaba por tornar seu desempenho final muito melhor. Por ser um treinamento mais intenso, focado em tempo, o esportista deve estar descansado e bem preparado para começar.

O treino é como uma simulação de competição, onde o atleta deve correr o mais rápido possível por uma distância semelhante à de sua prova real.

O treino é como uma simulação de competição, onde o atleta deve correr o mais rápido possível por uma distância semelhante à de sua prova real. É um bom treinamento para se fazer antes das competições reais ou para se estabelecer seu tempo de atleta.

Treinamento intervalado

O treinamento intervalado, como o nome já diz, intercala entre altas taxas de esforço e momento de intervalo (descanso), o que o difere de treinamentos de repetição, visto que sua recuperação é quase completa.

Diferente dos outros tipos de treino, o treinamento intervalado permite uma boa recuperação durante sua execução.

É um dos treinamentos mais versáteis, podendo aproveitar diferentes sistemas energéticos, durações e intensidades, tipo de descanso, número de repetições, frequência semanal etc. É um treino comumente usado para manter a resistência anaeróbica do atleta, mas também pode ajudar a desenvolver o sistema aeróbico.

Este artigo tirou suas dúvidas? Esperamos que sim! Deixe seu comentário aqui e compartilhe essa matéria com seus amigos que podem gostar de saber mais sobre o treino de resistência. Você também pode ler outros textos assim aqui no site.

Compartilhe esse post

Comments are closed.